Com o passar dos anos, não sei se por consolo ou sabedoria, aprendi a considerar os sonhos como parte integrante da vida. Há sonhos que, por sua intensidade sensorial, às vezes pelo realismo, às vezes justamente pela falta dele, merecem entrar numa biografia em pé de igualdade com o mais notório dos fatos acontecidos durante aquilo a que normalmente se reduzem as ditas experiências realmente vividas, ou seja, as que ocorrem durante a vigília.

Não se descobre a própria transgeneridade, como se fosse um fato natural, uma essência que sempre esteve ali e que você revela posteriormente ao mundo. Tampouco…


Eu lembro de todos os detalhes deste dia como se fosse ontem — não é possível esquecer uma ferida de gênero. Aconteceu uns dois anos atrás, eu não tomava hormônios e os meus recursos para transicionar eram exclusivamente um conjunto de tecnologias semiótico-verbais. …


Algum lugar do Norte de Minas, cerca de cinco anos atrás. Estou sentada em frente ao Centro de Ciências Humanas. Ao meu lado, uma sapatão e melhor amiga à época, e uma bicha. Eu não conseguiria explicar o que estava acontecendo em minha cabeça ali, mas eu me apresentava enquanto bissexual e não-conformista de gênero. Encaro as minhas amizades e, sem um contexto, pergunto: Vocês não acham que precisamos de um espaço para falar sobre essas… questões, militância, no campus?

Essas palavras, as minhas primeiras para todos os efeitos, hoje estão guardadas no arquivo-vivo que é o meu corpo como…


Seis meses de TH. I’m freezing, I’m burning, I’ve left my home. Esse marco configura um momento crucial para a hormonização. É metade de um ano, e é sabido que o próximo semestre será muito intenso. “Você vai ter mais ou menos um ano pra pensar sobre tudo e se preparar; os efeitos não são muito dramáticos até lá, às vezes nem percebem”. Me disseram.

Eu não sei se estou pronta, se consegui me preparar. Nos últimos dois textos, é quase tangível a minha empolgação e admiração por essa experiência — alguém poderia pensar que é um mar de rosas…


Cinco meses de TH. Enquanto escrevo isso, lembro de uma época, três ou quatro anos atrás, em que a minha obsessão pelo corpo do filósofo nômade e extraterrestre Paul B. Preciado estava em seu maior nível: após entrar em contato com seu bastante pretensioso e esplêndido Manifesto Contrassexual, nenhuma outra coisa foi capaz de prender a minha atenção. Só consigo descrever o que senti com aquelas palavras me utilizando da mesma alegoria que sua amada, Virginie Despentes, nos ofereceu: Preciado escreve como Jimi Hendrix toca a guitarra, ou como uma dançarina extraordinária performa num palco. Extremamente técnico, com o maior…


Quatro meses de TH. Os hormônios não foram convocados por mim como medida desesperada; diante de um sentimento de viver o mesmo dia over and over again, apenas decidi que eu queria ser confrontada subitamente por algo que me permitisse o inesperado, que me fizesse parar de ser tão cautelosa. Eu sempre planejei tanto minha vida. O estradiol não foi um intruso em minha casa, não me segurou contra a parede e me obrigou a aceitar o que eu não preciso. …


Tradução de Towards Plurality de Audrey Tang.

RV: Realidade Virtual. Não se trata de substituir o contato humano, mas sim de providenciar uma forma completamente nova de interação. No passado, o papel e a tinta, o telefone e mídias audiovisuais todos cumpriram esse mesmo papel.

O que há de tão especial na RV é que ela pode transcender as dimensões de espaço e tempo, trazendo um sentimento mais forte de coexistência a quem participa, o que ajuda a promover o entendimento comum e eventualmente leva à espontaneidade, interação e a busca do bem comum.

Isso não apenas enriquece a eficiência…


Texto adaptado de DARING, C. B. et al. Introduction: Queer Meet Anarchism, Anarchism Meet Queer. In: ______ (Orgs.). Queering Anarchism: Addressing and Undressing Power and Desire. Oakland, Edinburgh, Baltimore: AK Press, 2012. p. 5–19. Tradução minha.

Anarquismo

Muitos volumes foram escritos ao longo da história explicando o anarquismo, e o movimento já viu muitos períodos históricos de recuo e ressurgimento. Nós estamos vivendo num ressurgimento do interesse em ideias anarquistas no momento. É um tropo comum o de que depois da Batalha de Seattle em 1999 — quando uma coalizão livre de ambientalistas, sindicalistas, anarquistas, feministas e muites[1] outres fecharam a…


POR QUE EU CULTUO O DEMÔNIO?

Nós temos muitos motivos para nos chatearmos com a indústria do sexo. Os produtores de pornografia sempre foram babacas que exploram, especialmente mulheres¹, para conseguir lucro. Definitivamente uma boate de strip é um lugar de degradação. As mulheres são expostas e os homens as encaram e as provocam. De vez em quando eles até dão uma gorjeta ou outra. …

technogender

anarco-trans-feminista; traduções&autoteoria.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store